Feridas em gatos: muito cuidado, pode ser Esporotricose































    Estamos vivendo um momento em que os gatos estão ocupando um lugar muito especial em nossas vidas. Já não são tão rejeitados como no passado e a exemplo dos Estados Unidos, brevemente superarão o número de cães nas residências do nosso país.

    Existe uma doença chamada ESPOROTRICOSE que se caracteriza por feridas que não cicatrizam que acomete gatos, cães e também o homem. Seu agente causal é um fungo chamado Sporothrix schenkii, que sobrevive no solo, troncos de madeira e caules de árvores. Ao ser inoculado ou em contato com lesões de pele ou mucosas o fungo se propaga formando lesões nodulares e ulcerativas que não respondem aos tratamentos convencionais de feridas.
    Em medicina humana é conhecida como DOENÇA DOS FLORISTAS, pois é frequente entre esses profissionais que ao limparem caules das rosas, se acidentam com espinhos contaminados com o fungo.
   Os GATOS além de muito mais sensíveis, contaminam-se com mais facilidade pelo hábito de enterrar as fezes e se arranharem durante combates territoriais e reprodutivos.
A cidade do Rio de Janeiro detêm índices alarmantes de casos registrados na última década, tanto em animais quanto em seres humanos.
   QUALQUER GATO COM FERIDAS QUE NÃO CICATRIZAM DEVE SER LEVADO IMEDIATAMENTE AO MÉDICO VETERINÁRIO.
    O aspecto costuma ser de uma ¨FERIDA VIVA¨ localizada mais frequentemente na cabeça e patas, na maioria das vezes em gatos de vida livre (que vão à rua).
    O diagnóstico da doença é feito através de exames citopatológico, histopatológico (biópsia) e/ou cultura do fungo. O próprio veterinário poderá realizar a coleta de material e enviá-lo ou encaminhar o animal para centros de referência.
    O tratamento não é muito simples, pois dar remédio por via oral para gatos não costuma ser tarefa muito fácil, mas é POSSÍVEL, VIÁVEL E MUITO GRATIFICANTE.
    Em casos confirmados as alternativas são tratar o animal acometido ou realizar a eutanásia, tendo em vista que trata-se de uma zoonose (doença transmitida entre as espécies). Nunca permita que um animal portador dessa micose seja abandonado, o que é prática muito comum. Ele será mais um disseminador da doença e poderá contaminar famílias inteiras.

Lesões em humanos :














                                                                                                                                       Clínica Veterinária Madureira


Horário de Funcionamento
Segunda à Sexta 08:00h às 18:30h, Sábado 08:00h às 17:00h e Feriados 08:00h às 12:00h
Rua Américo Brasiliense, 96 - Madureira   Rio de Janeiro/RJ CEP:21.351-060
Tels: (21) 3350-4070 e (21) 3390-0837

Veterinária Madureira